Aplicações Principais

  • Sorção
  • Separação de espécies orgânicas hidrofóbicas
  • Adsorção de gases: compostos orgânicos voláteis halogenados

Vantagens

  • Alta resistência mecânica
  • Alta área superficial comparada a um adsorvente tradicional
  • Interação dupla IEX/hidrofóbica

Aprovações Regulamentares

  • Certificado IFANCA Halal
  • Certificado Kosher
  • Em conformidade com o Regulamento FDA 21 CFR 173.25 para tratamento de alimentos, Troca Iônica
  • Em conformidade com a Resolução Européia ResAP 2004 3
  • Livre de GMO/TSE/BSE

Embalagem Típica

  • Saco de 1 pé³
  • Saco de 25 Litros
  • Tambor (Fibra) de 5 pé³
  • BIGBAG de 1m³
  • BIGBAG de pé³

Características Fisico-Químicas Típicas:

Estrutura Polimérica Reticulado de poliestireno macroporoso com divinilbenzeno
Aparência Esferas
Grupo Funcional Amina Terciária
Forma Iônica FB (Forma livre)
Capacidade Total 0.2 eq/L (4.4 Kg/ft³) (Cl- forma)
Retenção de Umidade 35 - 50 % (Cl- forma)
Faixa de Tamanho de esferas 300 - 1200 µm
Diâmetro Médio 725 ± 85 µm
Volume de Poro (min.) 0.5 mL/g
Coeficiente Uniformidade (max.) 1.7
< 300 µm (max.) 1 %
Volume de Poro (min.) 0.2 - 0.4 mL/g
Dilatação reversível, FB → Cl- (max.) 5 %
Peso Específico 1.07
D50, Microporos 25 Å
Área superficial (min.) 1200 m²/g
Limite de pH, Estabilidade 0 - 14
Peso de Embarque (aprox.) 675 - 705 g/L (42.2 - 44.1 lb/ft³)
Limite de Temperatura 60 °C (140.0 °F) (FB (Forma livre))

Características Hidráulicas

Perda de Carga

A perda de carga em um leito de resinas de troca iônica depende da distribuição de tamanho de esferas, da altura do leito de resinas e do volume de espaços vazios entre as esferas, assim como também da vazão e a viscosidade da solução afluente. Fatores que afetam qualquer um desses Parâmetros - presença de material particulado retido no leito, compressão anormal da resina, ou a classificação incompleta de um leito - terão um efeito adverso e resultará em um aumento da perda de carga. Dependendo da qualidade da água dealimentação, da aplicação e do projeto, as taxas específicas de vazão operacional podem variar entre 10 a 40 BV/h.

Perda de Carga em um Leito de Resina

Contra Lavagem

Durante a contra lavagem ascendente, o leito de resina deve ser expandido entre 50 - 70% em volume por, pelo menos, 10 - 15 minutos. Esta operação removerá particulado e eliminará do leito bolhas e espaços vazios, além de reclassificar as esferas de resina a fim de garantir uma resistência mínima ao fluxo. Quando colocada em serviço pela primeira vez, aproximadamente 30 minutos de contra lavagem é geralmente suficiente para classificar corretamente o leito. Observe que a expansão do leito aumenta com o fluxo e diminui com o acréscimo da temperatura do fluido de alimentação. Cuidados devem ser sempre tomadas para evitar a perda de resina através da parte superior do equipamento, devido à expansão exagerada do leito.

Expansão na Contra Lavagem do Leito de Resina